Category Archives: Entrevistas

daniel-filho-campus

Entrevista com Daniel Filho

Olá, tivemos o prazer de entrevistar um dos desenvolvedores mais requisitados do mercado, podcaster e membro ativo das comunidades de Javascript. Confira um pouco da vida e projetos de Daniel Filho!

PERFIL

Data de Nascimento:

02/82

Cargo / Função:

Desenvolvedor web — estou numas de que as pessoas precisam ser desenvolvedoras, entender de lógica geral, sem um escopo específico. isso só melhora o entendimento como um todo e traz mais valor profissional

Empresa(s) Atual(is):

trabalho em período integram na Netshoes, somos o maior e-commerce de esporte do mundo de acordo com o guia Internet Retailer.

tenho um podcast que considero um trabalho, que é o Zone Of Front-Enders (ou ZOFE), e apresento junto do Zeno Rocha. mas esse pode entrar como um hobby também :)

sou membro da fundação BrazilJS e também o criador da iniciativa FEMUG, além de manter o FEMUG-SP (mais aqui: http://github.com/braziljs/femug).

também ajudo a Mozilla como voluntário no time de compatibilidade web, pro firefox os, mas ando meio “inativo com isso”.

Formação acadêmica:

comecei ciência da computação na universidade anhembi morumbi, mas não terminei.

Tem algum ídolo ou referência em sua área que te inspira? (Pode listar por área, se preferir)

na minha área eu admiro muita gente, vou dar o nome e o porque:

  • eduardo shiota (@shiota): ele tem uma harmonia perfeita entre desenvolvimento e entendimento de problemas que, no meu ponto de vista, pouca gente tem.
  • leonardo balter (@leobalter): o leo é um cara dedicado. se ele encana com uma coisa, ele vai até o fim e acaba se tornando referência no assunto, além de ter paciência pra passar o que conhece.
  • rick waldron (@rwaldron): o cara é uma pessoa com uma mente iluminada. ele faz parte da TC39 e criou uma maneira de acessar hardware via javascript. acho isso fantástico

Cursos e treinamentos já realizados:

fiz datilografia em 1995, um curso de desenvolvimento para iOS em 2011, mas nunca usei nada desse curso.

mas teve um curso que mudou minha vida, e eu pretendo fazer ele de novo (sim, fazer o mesmo curso de novo). Matemática Aplicada à Vida pelo professor Agnaldo Ricieri, no Museu da Matemática.

PRODUTIVIDADE

Tem uma rotina diária? Como administra seu tempo?

basicamente eu chego no trabalho e me atualizo. leio meus rss feeds, minha lista de desenvolvimento do twitter (twitter.com/danielfilho/webdev). depois disso trabalho, quando vou pra casa geralmente jogo ps3 a noite, leio um livro quando na cama (e no caminho de/para o trabalho). de final de semana costumo programar coisas pra aprender, tipo mexer em algum novo framework ou ler alguns artigos acumulados durante a semana.

Quais ferramentas utiliza para aumentar a sua produtividade?

  • ifttt (ifttt.com): ajuda bastante com receitas simples mas que ajudam a concentrar tarefas em menos lugares.
  • slack: na Netshoes usamos slack pra comunicação dos/entre os times de tecnologia, com uma sala pra cada projeto e uma pra cada divisão de equipe, isso ajuda bastante. deixamos nosso github ligado nas salas, então todas as mensagens pertinentes ao projeto pro time de desenvolvimento acabam ficando por ali.
  • evernote: anoto absolutamente tudo relativo ao trabalho e informações pessoais também no evernote. tenho uma conta premium pra desbloquear algumas características bem bacanas. mantenho reuniões, viagens, projetos, listas de tarefas etc. uma curiosidade: demorei quase CINCO anos pra começar a usar o evernote da maneira que uso hoje. se você tentou começar e não curtiu, a dica é: não desista! é um app absolutamente poderoso.

Na sua opinião, quais são as principais dificuldades para aprender a programar?

vontade, tempo e dedicação. você PRECISA ter esses três pra aprender, uma vez que você tem, tudo flui muito fácil e você começa a sentir falta de “algo”. eu descobri que esse “algo” é ensinar (no meu caso). ajudar de alguma maneira, compartilhando o pouco que sei com quem tem interesse em aprender, e tem vontade disso. isso me ajudou a começar fazer apresentações por aí :)

Utiliza técnicas de métodos ágeis? Se sim, qual e o que mudou ao adotar?

já trabalhei com scrum, já trabalhei com kanban atendendo um time de scrum. acredito em alguns itens de XP e, particularmente, não gosto de coding dojo. acho tosco e meio sem sentido (mas é minha opinião, minha cabeça é meio quadrada pra isso). admiro muito quem consegue tirar proveito de dojos :)

acho saudável ter alguns minutos por dia, todo dia, pra deixar claro pro time o que foi feito, o que está fazendo e quais os planos pro próximo dia. o review de um sprint também é valioso, pro time ir deixando de fazer coisas erradas e passar a melhorar os processos.

Trabalha remotamente? Se sim, como é a experiência de trabalhar em home office? Percebe diferenças na produtividade?

esse é um assunto extenso e tenso. pra se trabalhar remoto, é necessário ter uma maturidade profissional muito grande e uma disciplina ainda maior. a tentação da procrastinar é imensa, se você não tiver uma auto-disciplica forte, esqueça.

eu já trabalhei pra uma startup americana durante meio ano, e o trabalho era remoto. é fantástico, mas era uma época que eu tinha dois trabalhos (trabalhava no iG e pra essa startup). foi tenso manter tudo assim, mas foi uma experiência única.

EMPREENDEDORISMO

Na sua opinião, qual a maior dificuldade ao empreender no Brasil?

o próprio Brasil. não acredito em startups brasileiras, conheço uma ou outra que realmente tem seu valor e não é um verdadeiro oba-oba. aqui as pessoas não entendem a ideologia da coisa, o que se vê é um cara de blazer, um macbook no braço, alguns pufes amarelos espalhados num “open office”, pizza, refrigerante e zero responsabilidade ou respeito com o próximo. com o negócio e especialmente, com o profissional.

DESENVOLVIMENTO

Como se interessou pela área de desenvolvimento?

rapaz, foi amor a primeira vista. comecei muito cedo, mexendo no código de um jogo em Basic e depois disso foi só

É possível descrever como a programação mudou a sua vida?

sim, e de forma bem simples. absolutamente tudo que sou hoje é graças a programação. eu amo o que faço, me divirto trabalhando e estudando e ainda me pagam pra isso. acho que quando você consegue trabalhar em algo que você ama incondicionalmente, o negócio flui. imagina se eu programasse bem?

o dia que eu parar de me divertir e curtir como curto, fazendo o que faço, abro meu restaurante. hahaha

Tem algum projeto open-source bacana que queira compartilhar com a gente?

eu já ajudei em alguns projetos, mas últimamente ando bem parado com isso (o que é uma vergonha). entre alguns que ajudei no passado estão: html5 boilerplate, yeoman, move the web forward etc.

comecei há pouco um projetinho que partiu de uma necessidade de organizar algumas informações no GitHub, ainda tá em desenvolvimento fechado, mas jajá abro ele

PROJETOS

Como foi iniciar um podcast sobre front-end? Como está sendo a aceitação por parte da comunidade?

foi um lance bacana. a idéia veio numa época que eu consumia bastante podcast, relacionados e não com desenvolvimento. convidei o Zeno e ele topou na hora. bolamos um “formato-sem-formato” (falo assim porque o único formato que temos é a ordem das coisas) e pimba… rolou :)

MAMILOS* :)

Recentemente, no RSJS (Risos JS) você fez um keynote sobre a comunidade e o bullying que dev’s fazem com os próprios colegas dev’s. Quais fatores acha que levou a esse preconceito entre membros da mesma comunidade?

é normal, toda comunidade passa pelas mesmas dificuldades, pela mesma falta de personalidade até se encontrar e pelos mesmos momentos. acredito que estamos amadurecendo muito rápido, mas não da pra todo mundo ir no mesmo ritmo. o preconceito não é ligado diretamente com a comunidade, mas sim com cada pessoa. criação, passado, presente, dificuldades e facilidades que cada um passa e passou.

cabe a todos nós ajudarmos uns aos outros, identificar os “pontos de estrangulamento” sempre que possível e ajudar ao máximo, mesmo que seja não atrapalhando – como eu disse em um slide.

resumindo: você tem todo direito de não gostar de alguém ou algum tipo de pessoa, desde que isso não interfira em qualquer pessoa além de você. guarde seus preconceitos numa caixinha, e use quando estiver sozinho (até você esquecer que aquela caixinha existe. o que é ideal)

TECNOLOGIAS

Qual o tipo de app móvel você acha matadora e que serve de exemplo para novas apps?

Tem um app para todo lists que eu acho sensacional, é baseada em gestos e tem uma interface ultra limpa. O nome é “Clear”.

O que acha da nova onda de wearable devices? Quais você utilizaria/usa?

Eu gosto bastante tecnologia. Muito mesmo. E tenho esse problema de querer ter tudo que é novo.

Acho esse lance de wearables demais (mas já aviso que acho o Google Glass ridiculamente estúpido). Gosto muito de dispositívos que sejam discretos ou que não me façam parecer um alienígena.

Uso o Pebble porque a vida toda usei relógio de pulso. Também uso o fitbit flex, por ser absolutamente discreto e, como sou data freak, sei de informações e hábitos do meu dia-a-dia.

Quais tecnologias crê que serão bastante utilizadas nos próximos 5 ou 10 anos?

Minha bola de cristal USB tá pifada

Brincadeira, mas de verdade. Não faço nem idéia, mas acho que os wearables e biometria são um caminho natural.

PESSOAIS

Tens algum hobby ou atividade cultural que exerce?

Cara, por falta de um tenho uma penca. Eu gosto muito de atirar nos finais de semana que vou pra Americana, e esse é o hobby que mais ando me dedicado. Quando estou em sampa jogo muito video-game, tenho um Clã de Battlefield 4 com o Rafael Rinaldi, Leo Balter e o Coragem (um cumpadre de Curitiba).

Tem algum gadget favorito que está sempre com você?

Um? Eu sou quase um ciborgue. Hahaha! Mas um cara que tá sempre comigo é meu Pebble :)

Quais músicas / podcasts estão sempre em sua playlist?

Eu sou bem eclético, de verdade. Eu uso hoje spotify, então podem dar uma olhada nas músicas lá pelo link: http://open.spotify.com/user/dnlflh Mas meu coração pertence ao Death Metal. Eu sou pirado em bandas como Death, Carcass, Morbid Angel e mais um monte de coisa boa, mas ando ouvindo bastante Anaal Nathrakh, Mastodon, The Dillinger Escape Plan, Faith No More, Ghost B.C. etc. Sobre podcasts, eu ouço os seguintes: ZOFE (o melhor podcast já criado por um ser humano), JavaScript Jabber, ShopTalk, NodeUp, Build Podcast, The WebGL Podcast, The Changelog e Matando Robôs Gigantes (MRG).

Na sua opinião, quais filmes são fundamentais assistir antes dos 30?

Agora você apelou comigo. Eu sou aficcionado por cinema, mas não sou daqueles “chatos do cinema iraniano”; aliás, admiro quem tem saco pra isso, de verdade. Eu sou muito apaixonado por alguns filmes, vou tentar resumir ao máximo: The Shining (meu favorito), Låt Den Rätte Komma In (a fotografia mais incrível da história), Vertigo, Fight Club, Donnie Darko, Pulp Fiction, Alien (trilogia), American History X, Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb, O Som Ao Redor e Blade Runner.

Tem um resumo de filmes que gosto (e não) aqui: https://mubi.com/users/2175461

Curte games? Se sim, quais games tem jogado recentemente?

Se curto? Sou tarado por games. Mas ultimamente tenho me dedicado a Battlefield 4. Mas comprei (e comecei a jogar) Watch Dogs e Metal Gear Solid V. Sobre MGS, pra mim é assim: Hideo Kojima no céu, e nóis na fita. HAHAHA!

Gosto tanto de Kojima que o nome do Podcast – Zone Of Front-Enders – vem de um jogo dele: Zone Of The Enders ;)

O que compõe seu workspace?

No trabalho uso um MacBook Pro 15″ Retina, core i7 com 8GB de RAM, SSD e tudo mais. Segunda tela é um Dell 23″ Ultra sharp. Teclado e trackpad externos, da Apple. Fone de ouvido uso um Bose QuietComfort 15 (que uso pra viajar também). Mas meu hardware mais importante é uma AeroPress da Aerobie. Rapaz, isso salva vidas :D Em casa, um MacBook Pro 13″ Retina, 2.8GHz Core i7 com 16GB de RAM, SSD e tudo mais, com um monitor Dell Ultra Sharp de 27″, caixas de som Bose Companion 5, uma penca de componentes eletrônicos do lado (arduino, spark core, blue cortado etc.) e recentemente, ajeitei minha mesa pra ela funcionar como normal e stand-up desk.

workspacedanielfilhonetshoes
Meu desktop atual em casa

Para finalizar… tem algum sonho ou desejo que ainda não se realizou e que possa compartilhar conosco?

Sim. Três:

aprender a me organizar financeiramente.

viajar e conhecer um lugar novo em cada uma de todas as minhas férias à partir do ano que vem.

morrer na Suécia. mas confesso que não tenho pressa nesse item :D

5246587645_85ff331848_o

Entrevista com Fabiano Meneghetti da Zee

Data de Nascimento:

16/06/1981

Cargo / Função:

Designer – Sócio fundador da Zee

Empresa Atual:

logotipo da empresa Zee
logotipo da Zee

Formação acadêmica:

Arquitetura

Tem algum ídolo ou referência em sua área que te inspira? (Pode listar por área, se preferir)

Na internet não tenho muitos ídolos, mas desde a faculdade sou fã da ousadia do arquiteto Frank Ghery. No esporte é onde tenho as pessoas que mais admiro e me inspiram. Posso citar o foco e disciplina do surfista Kelly Slater, 12 vezes campeão do mundo, e também o carisma e determinação do eterno Senna.

Cursos e treinamentos já realizados:

Somente cursos básicos de internet, lá em mil novecentos e alguma coisa. Depois fui estudando e aprendendendo por conta própria.

Como se interessou pela área de arquitetura?

Sempre gostei de desenhar e acreditava que arquitetura era a profissão que eu queria seguir. Apesar de não ser o que trabalho hoje é um curso realmente apaixonante.

Como foi migrar da arquitetura convencional para o digital?

Durante a faculdade eu tive algumas cadeiras de design e a partir de então meu foco em relação ao que eu queria seguir como carreira começou a mudar. Nesta época eu já conhecia o Fabio, com quem mais adiante iria fundar a Zee. Começamos a fazer alguns trabalhos juntos, basicamente na área de design gráfico e web. Com o tempo passamos a trabalhar exclusivamente com internet, fui estudando e me interessando cada vez mais pela experiência do usuários e por desenhar interfaces simples de se utilizar. A metodologia que eu aprendi na arquitetura, a forma de pensar o projeto, a integração de equipes, tudo isso consigo reconhecer que me ajudam muito para trabalhar em projetos web hoje.

É possível descrever como o design mudou a sua vida?

Essa eu nunca tinha parado para pensar, mas as vezes uma pequena escolha já muda completamente o curso da nossa vida, quanto mais a escolha da profissão. Talvez se não fosse o design hoje eu ainda estaria trabalhando com arquitetura.

Tem uma rotina diária? Como administra seu tempo?

Levanto entre 7 e 7:30, solto meus dogs, passo um café e sento para ler algumas notícias e organizar meu dia, tanto as tarefas de trabalho, como coisas de casa e se preciso fazer algo na rua, pois trabalho home-office. Isso vai até umas 9:00. A partir deste horário meu dia varia bastante, mas tento na media do possível conciliar o trabalho até as 18h. Claro que tem determinados momentos do projeto que é preciso extender um pouco mais, mas não é o costume. Na noite, antes de dormir gosto de ler, ou algum livro ou artigos que vou sempre salvando no meu Instapaper.

Quais ferramentas utiliza para aumentar a sua produtividade?

Uso basicamente 3 serviços para gerenciar minhas tarefas: Google Tasks, Google Calendar e Basecamp. Já testei diversos serviços, métodos de gerenciamento de tarefas e estes são os mais simples e que atendem perfeitamente ao que preciso.

Ainda escreve para o blog Abduzeedo? Como foi participar do inicio do blog?

Escrevo sim. Tenho 3 posts semanais, assim como faço um revezamento com outro escritor para o Daily Inspiration, uma das series de posts de maior acesso do blog. Minhas leituras de manhã cedo são muito por causa destes posts, para separar matérias e inspirações para postar.

O início do blog foi meio loco, o Fabio teve a ideia a partir de um roubo do nosso escritório (acho que todos já sabem dessa história!), era meio o início dos blogs, tínhamos o Digg para alavancar acessos, começaram a aparecer escritores interessados em postar pro Abduzeedo e foi crescendo. Tiveram momentos que dividíamos as tarefas da Zee de forma a deixar o Fabio focado no blog, o que foi extremamente importante, pois até hoje ele é um grande canal de divulgação e reconhecimento para a Zee.

Conte-nos um pouco sobre os novos projetos da Zee na comemoração dos 10 anos da empresa, apenas se possível.

Não temos tantas surpresas, foram feitos alguns selos comemorativos, já que utilizamos bastante o serviço dos Correios para envio de notas e contratos.

selos zee - 10 anos
Selos de comemoração de 10 anos da Ze

Estamos fazendo uma ação com 10 imagens expressando tudo que a Zee representa hoje para nós e para quem já trabalhou conosco.

imagem comemorativa de 10 anos da zee
Uma das imagens comemorativas de 10 anos

Além disso estamos lançando um projeto novo em alguns dias e ainda este ano vamos ter a nova versão do Openjobs e finalizar 2014 com o novo site da Zee.

Como foi ver o crescimento da empresa no mercado e participar de projetos como Apps e Portais?

Participamos de projetos de portais muito importante, entre eles eu citaria o ClicEsportes (RBS – 2010), Viajeaqui (Editora Abril – 2011) e Dafiti (2013-2014). Para mim alcançar este porte de cliente é o real objetivo da empresa, é o sinal de que estamos no caminho certo.

Nestes últimos anos também, com o surgimento de diversas startups, estamos tendo também a oportunidade de trabalhar com o outro lado, os clientes que recém estão abrindo empresa, ou apenas tirando uma ideia do papel, é outra experiência, da para ver a paixão de começar um negócio próprio e a vontade que dê certo.

Na sua opinião, quais são as principais dificuldades para empreender no Brasil?

Sem dúvida são os impostos, mesmo para pequena empresa é um absurdo o valor que se paga em cima de cada nota. Falta também mais incentivo para quem tem vontade de abrir uma empresa nova e até mesmo criar um serviço ou produto. Vejo que está melhorando, existem ações isoladas mas que não seguem o ritmo que deveria. Existe muita gente boa empreendendo, mas vejo o outro lado, muitas pessoas sem uma ideia concreta, sem um projeto bem pensado querendo fazer sucesso na web

Tem algum hobby ou atividade cultural?

Gosto de surfar e passear com os cachorros. Tenho 4 labradores que precisam de atividade constante!

Já trabalhava remotamente antes de ir morar em Santa Catarina? Como foi a adaptação ao mudar de estado?

Tivemos 2 escritórios em Porto Alegre, de 2004 a 2008, a partir de 2009 então começamos a trabalhar remoto. Desde que conheci a Renata (hoje minha esposa e sócia) tínhamos a ideia de vir morar em Garopaba / SC, fomos amadurecendo a ideia, organizando como seria o contato com os clientes de outros estados e aos poucos começamos a planejar efetivamente a mudança.

A adaptação foi relativamente tranquila, pois já conhecíamos bem a cidade, depois foi só questão de tempo para acostumar com as viagens de trabalho.

Tem algum gadget favorito que está sempre com você?

Só meu iPhone mesmo.

Quais músicas / podcasts estão sempre em sua playlist?

Eu escuto de tudo um pouco, desde The Killers, Bob Marley, até Face to Face. Depende do momento.

Na sua opinião, quais filmes são fundamentais assistir antes dos 30?

  • Curtindo a vida adoidado – É divertido e marcou minha época.
  • Poderoso Chefão – A trilogia é uma obra prima.
  • Encontro Marcado – Tem uma mensagem belíssima.

O que compõe seu workspace (computador, monitores, mouse, teclado, fones de ouvido, etc)? (se souber especificar cada item é melhor)

  • MacbookPro com monitor extra.
  • Mouse Microsoft.
  • Teclado com fio Apple.
  • Fones Apple.
  • iPad e iPhone também tão sempre junto para testes de navegação.

Para finalizar… tem algum sonho ou desejo que ainda não se realizou e que possa compartilhar conosco?

Meu desejo é de conhecer muito lugar ainda nesse mundão. Tenho também sonho de acertar na loteria, mas como eu não jogo acho que esse vai ser bem difícil conseguir!

Entrevista com Elton Minetto da CodeRockr

Foi um prazer entrevistar um dos brasileiros que mais inspiram nossa equipe em termos de metodologia, produtividade e desenvolvimento. Estou falando de Elton Minetto, desenvolvedor, empreendedor, escritor e professor… ufa, são muitas funções e ele consegue dar conta de tudo isso muito bem.

Foto Elton Minetto
Foto do RedHead

Data de Nascimento: 

15/11/1978 

Cargo / Função:

Atualmente sou CEO da Coderockr, empresa que ajudei a fundar em 2010.  Teoricamente eu sou responsável pela gerência da empresa e dos projetos, bem como contato com clientes e parceiros. Mas sempre que dá um tempinho eu ajudo na programação, só porque é divertido e mantém minha mente afiada. 

Empresa Atual: 

Logotipo coderockr 

 

 

Formação acadêmica:

Sou bacharel em Ciências da Computação. Fiz uma pós-graduação, também em Ciência da Computação e um MBA em Gerenciamento de Projetos. 

Tem algum ídolo ou referência em sua área que te inspira? Se sim, quais e o que te levou a apreciar os trabalhos?

É difícil escolher apenas um ídolo, porque admiro muita gente. Mas posso citar Eric Raymond, Richard Branson, Steve Jobs, Steve Wozniak e a galera que criou o Github.  

Cursos e treinamentos já realizados:

Eu sou meio autodidata então sempre aprendi as coisas sozinho, lendo e testando as tecnologias. Por isso fiz poucos treinamentos além da universidade. 

Com quais linguagens de programação você já trabalhou? Tem alguma que ainda quer aprender / trabalhar?

Já trabalhei com muita coisa: Cobol, PL/SQL, muito shell script, JavaScript, Java e principalmente PHP. Adoro a sintaxe do Python e gostaria de aprender e trabalhar com Go porque me parece que ela resolve problemas muito interessantes como concorrência e performance. 

Já trabalhou em algum projeto open-source? Quais?

Eu já colaborei com alguns projetos em vários níveis. Ajudei a traduzir algumas coisas do Ubuntu, criei uma distribuição linux para developers baseada no falecido Kurumin Linux, relatei bugs para o Doctrine e mais recentemente ajudei a escrever o suporte a Oracle para o Zend Framework 2, junto com um cliente da Coderockr. As pessoas as vezes esquecem que é possível colaborar com os projetos de diversas maneiras além do código: documentação, divulgação, tradução, palestras, etc. Tudo é válido e importante. 

Quais foram as dificuldades para aprender a programar?

Eu sempre gostei muito da área de tecnologia e programação, então sempre tive o entusiasmo e a vontade de aprender. Isso ajudou bastante para quebrar qualquer barreira que eu encontrei

Utiliza técnicas de métodos ágeis? Se sim, quais e o que mudou ao adotar?

Na Coderockr sempre usamos Scrum e recentemente começamos a usar Kanban, para podermos comparar os dois métodos. Ambos são muito eficientes, tanto para a equipe quanto para o cliente. 

O que te motivou a escolher a área de desenvolvimento de software?

Sempre gostei muito de tecnologia e tive ótimos professores quando comecei a aprender programação na universidade (entrei na universidade com 17 anos, então comecei relativamente cedo). Acho que isso ajudou bastante, mas o fato de você conseguir resolver problemas, gerar resultados apenas com a sua mente e seus códigos é algo fantástico e que todos deveriam tentar. 

Na sua opinião, quais tecnologias / linguagens de programação irão predominar no mercado nos próximos anos? 

As tecnologias e linguagens de programação envolvidas na geração de aplicativos para dispositivos móveis. Isso é algo que não tem mais volta, o mundo é móvel. E isso vai se expandir ainda mais com os computadores vestíveis. 

Em quais projetos está trabalhando atualmente? Se puder revelar, dar uma prévia do que será lançado em breve… 

No âmbito profissional estamos sempre criando coisas novas para nossos clientes, mas também estamos pensando em um novo produto que deve ser lançado em 2014 (ou não, dependendo do resultado do MVP que estamos desenvolvendo). No quesito “projetos pessoais” estou pensando em escrever um novo livro que espero conseguir terminar ainda este ano.  Gostaria de ressuscitar o BizAndCode, podcast que eu co-apresentava com um amigo em 2013, mas não sei se o tempo vai permitir. 

Tem algum gadget favorito que anda sempre com você?

O iPhone. O iPad Mini também é um companheiro de dia a dia, principalmente para ler notícias e livros. 

Quais músicas / podcasts estão sempre em sua playlist?

Heavy metal! Sou muito fã de metal e de suas vertentes mas também gosto de rock. Um dos meus vícios é descobrir bandas novas, estou sempre vasculhando o que está sendo lançado de rock e heavy metal.  E sou grande fã do Nerdcast e Matando Robôs Gigantes, meus companheiros diários de exercícios físicos.

Na sua opinião, quais filmes são fundamentais assistir antes dos 30 anos?

A trilogia Poderoso Chefão, todos os do Martin Scorcese, os do Tarantino e Clube da Luta. São formadores de caráter. 

Na sua opinião, quais livros são leituras fundamentais antes dos 30 anos?

Eu uso a literatura como válvula de escape, então é difícil para mim citar algum livro filosófico. Os livros do Tolkien, Admirável Mundo Novo, Neuromancer e os do Isasc Asimov estão entre meus favoritos.  E qualquer coisa escrita pelo Neil Gaiman. 

O que compõe seu workspace (computador, monitores, mouse, teclado, fones de ouvido, etc)? (se souber especificar cada item é melhor)

Atualmente uso um Macbook Pro 13” mid 2012, 2.3GHz Core i5, que eu incrementei com 16 GB de RAM. Estou namorando um Macbook Retina mas o preço ainda está me assustando um pouco.  Às vezes uso um monitor externo, mas não é algo obrigatório. No trabalho uso o fone de ouvidos do iPhone porque é prático e leve. Em casa uso o fone de ouvido do PS3 que é muito bom, apesar de pesar uma tonelada. 

Para finalizar, tem um sonho que ainda não realizou e pode compartilhar conosco?

Eu gosto muito de palestrar e ministrar aulas, então um dos meus sonhos é palestrar em um evento internacional, de preferência o TED. 

Acabei não perguntando e não deixei claro, mas Elton também já escreveu os livros Zend Framework na Prática (1 e 2), Doctrine na Prática e lançou a startup CodeSquad.

A humildade e disponibilidade de Elton para esta entrevista foi incrível, que siga assim e que tenha ainda mais sucesso na vida com a chegada da cegonha :)

Foto rosto Robson Bittencourt

SESSÃO PERFIL COM ROBSON BITTENCOURT

Tenho o prazer em ser colega deste grande amigo e excelente desenvolvedor que em uma conversa de poucos minutos percebe-se a determinação em escrever código de qualidade. Confira o que Robson Bittencourt curte e o que ele

Data de Nascimento:

02/07/1989

Cargo / Função:

Desenvolvedor

Empresa Atual:

uMov.me S.A

Formação acadêmica:

Graduando em Sistemas de Informação

Tem algum ídolo ou referência em sua área que te inspira?

Não

Cursos e treinamentos já realizados:

Formalmente somente a graduação.

Com quais linguagens de programação você já trabalhou? Tem alguma que ainda quer aprender / trabalhar?

Trabalho atualmente com Java. Também utilizo Ruby para um projeto de testes funcionais. Gostaria de aprender .Net para diversificar o conhecimento.

Já trabalhou em algum projeto open-source? Quais?

Não

Quais foram as dificuldades para aprender a programar?

A princípio foi fácil, sempre tive facilidade com matemática e problemas de lógica.

Utiliza técnicas de métodos ágeis? Se sim, qual e o que mudou ao adotar?

Posso citar duas, TDD e Pair Programing. Não sei dizer o que mudou pois sempre tive o privilégio de trabalhar assim, mas de qualquer forma as vantagens de se adotar métodos ágeis são diversas.

Na sua opinião, quais tecnologias / linguagens de programação irão predominar no mercado nos próximos anos?

Na minha opinião as plataformas móveis ganharam cada vez mais destaque. Em virtude disso acredito que linguagens que rodem em diversos dispositivos serão muito importantes.

Tem algum gadget favorito que anda sempre com você?

Somente o smartphone.

110059_300

Entrevista com Carlos Brando

Dando continuidade a nossa sessão perfil, o blog da Master Studio Web fez uma breve entrevista com Carlos Brando que é um dos entusiastas auto-didata que programa muito e é um dos idealizadores do Grok Podcast (um dos podcasts mais conceituados no assunto Desenvolvimento). Segue a entrevista abaixo:

Nome Completo: Carlos E. Brando

Idade: 30

Cargo / Função: CTO

Empresa Atual: 2Pay

Formação acadêmica: Nenhuma

Cursos e treinamentos já realizados: Nenhum

Com quais linguagens de programação você já trabalhou? Tem alguma que ainda quer aprender / trabalhar? Assembly, C, C++, Erlang, Java, Visual Basic, C#, Javascript, Ruby, BASIC, Lua e talvez mais alguma que usei só por diversão. Não sei se tenho vontade de aprender alguma linguagem nova no momento, mas estou sempre aberto a tudo que aparece de novo.

Já trabalhou em algum projeto open-source?Se sim, quais são eles? Vários. Os meus:http://github.com/carlosbrando e já colaborei com o Rails e Riak.

Quais foram as dificuldades para aprender a programar? Para mim foi bem natural. Aprendi Assembly em um curso de eletrônica que fiz e não parei mais.

Utiliza técnicas de métodos ágeis? Se sim, qual e porque? Uso minhas técnicas. Não gosto de pair programming e nem de reuniões. Mas tenho usado uma ou outra coisa ágil no ambiente de trabalho.

Na sua opinião, quais tecnologias / linguagens de programação irão predominar no mercado nos próximos anos? Javascript é a linguagem do futuro. Mas ainda aposto no C para coisas onde linguagens de alto nível não dão conta. Erlango também é uma boa, já que o futuro é escalar…

Tem algum gadget favorito que anda sempre com você? Meu iPhone e meu Macbook, estão sempre comigo.

Na sua opinião, o que considera mais importante na hora de escolher uma linguagem/tecnologia para estudar? Diversão!

Não esqueça de curtir nossa página no Facebook, seguir no Twitter @masterstudioweb

Eduardo Sasso - Software Engineer

Sessão Perfil com Eduardo Sasso

Tive a oportunidade de realizar algumas perguntas para este incrível desenvolvedor. Sempre fã dos irmãos Sasso, pude aprender e saber um pouco mais da rotina do Eduardo na Gogobot. Confira abaixo o perfil:

Nome Completo: Eduardo Sasso

Idade: 33

Cargo / Função: Desenvolvedor

Empresa Atual: Gogobot (www.gogobot.com)

Formação acadêmica:Bacharel em Sistemas de Informação

Tem algum ídolo ou referência em sua área que te inspira?

Gosto muito do pessoal da 37signals e do Marco Arment do Instapaper.

Cursos e treinamentos já realizados:

Fiz alguns no início da minha carreira como Dbase e Visual Basic e atualmente tudo que aprendo é no estilo autodidata

Com quais linguagens de programação você já trabalhou? Tem alguma que ainda quer aprender / trabalhar?

Trabalhei com várias ao longo dos anos como Perl, ASP, PHP, Pascal, Java, Javascript e Ruby.

NodeJS é bem interessante, jé brinquei um pouco com ele mas definitivamente é uma tecnologia que quero utilizar mais profundamente no futuro.

Já trabalhou em algum projeto open-source? Quais?

Não

Quais foram as dificuldades para aprender a programar?

A principal dificuldade foi aprender a pensar lógico uma vez que você aprende isso a forma de ver o mundo muda.

Utiliza técnicas de métodos ágeis? Se sim, qual e porque?

Aqui no Gogobot utilizamos Scrum principalmente para organizar o caos do dia-a-dia e manter todo mundo em sync com as inúmeras atividades que tem no backlog.

Na sua opinião, quais tecnologias / linguagens de programação irão predominar no mercado nos próximos anos?

Server side javascript com NodeJS vem ganhando bastante mercado. Acredito que Ruby on Rails ainda vai predominar por mais alguns anos principalmente por ser muito bom trabalhar com Ruby e o framework Rails facilita muito também na hora de desenvolver web apps.

Tem algum gadget favorito que anda sempre com você?

Meu iPhone.

Na sua opinião, o que considera mais importante na hora de escolher uma linguagem/tecnologia para estudar?

Comunidade é muito importante. Documentação também conta bastante, sem essas duas a curva de aprendizado aumenta bastante.

felipekellermann

Sessão Perfil, com Felipe Kellermann

Iniciando nossa sério Perfil com desenvolvedores. O projeto iniciou de um trabalho de faculdade e estamos pensando em expandir para outras áreas. Iniciamos a série com o proprietário da Nyvra Software, Felipe Kellermann. Acompanhe as informações e comente se tem alguma curiosidade ou sugestão!

Nome Completo:Felipe Kellermann

Idade:29

Cargo / Função: Dono/proprietário da Nyvra Software.

Empresa Atual:Nyvra Software.

Formação acadêmica:Formado em Ciência da Computação pela UNISINOS (RS).

Tem algum ídolo ou referência em sua área que te inspira?

Um deles é Jack Dorsey, criador do Twitter e Square.

Cursos e treinamentos já realizados:

Apenas formado em Ciência da Computação, nunca fiz outro curso fora a própria graduação.

Com quais linguagens de programação você já trabalhou? Tem alguma que ainda quer aprender / trabalhar?

As principais já usadas:

– Shell-scripting e Perl (usados nos primeiros contatos com UNIX/Linux)

– C (desde o tempo da Ciência da Computação, até os primeiros empregos)

– Python (usado em scripting desde os tempos de Ciência da Computação e hoje nos projetos/produtos)

– Objective-C (para iOS)

Já trabalhou em algum projeto open-source? Quais?

Eu trabalhava contribuindo para um projeto Linux chamado BusyBox, que tem o objetivo de ser um “mini-Linux” (embarcado).

Também criei alguns como o “Consumo”, aplicativo iOS que teve o código aberto.

Quais foram as dificuldades para aprender a programar?

Na verdade, os primeiros softwares foram scripts e automatizações em Linux mesmo, o processo foi natural.

Quando estava na universidade, a programação já era algo natural, não tive que fazer um esforço exatamente para aprender.

Utiliza técnicas de métodos ágeis? Se sim, qual e porque?

Sinceramente, na Nyvra não seguimos nenhum “método” específico.

Até brincamos que o nosso “método” é o Programming Motherfucker (http://programming-motherfucker.com/).

Mas na verdade usamos o conceito de sprints, dividimos as tarefas, acompanhamos o desenvolvimento semanalmente, etc.

Somos uma equipe 100% distribuída (5 pessoas em lugares diferentes). Nos organizamos através de Basecamp + Campfire + Github.

Na sua opinião, quais tecnologias / linguagens de programação irão predominar no mercado nos próximos anos?

Eu acho que a diversidade de linguagens está cada vez maior. Uma linguagem que acredito hoje ser predominante é Javascript, pois só usando Javascript é possível escrever aplicativos “nativos” (como Titanium), Web para o navegador (tradicional), backend com Node.js e similares. A quantidade de frameworks baseados em Javascript hoje é bem impressionante. Se fosse recomendar uma linguagem para aprendizado, recomendaria JS.

Tem algum gadget favorito que anda sempre com você?

iPhone 4S.

Na sua opinião, o que considera mais importante na hora de escolher uma linguagem/tecnologia para estudar?

Acho que depende muito do foco que a pessoa quer atuar:

Programação Web? Programação de aplicativos móveis? Para qual plataforma? Sou da opinião que cada pessoa deve conhecer bem 3 coisas:

  1. shell-scripting pois sou ativista de sistemas UNIX
  2. Alguma linguagem de scripting como Python/Perl/Ruby/etc para fazer automatizações e pequenos softwares
  3. Alguma linguagem “compilada” (mesmo que para bytecode) como C, Java ou C#, para fazer softwares “nativos” (como Android e iOS nativos).